Fóssil de rinoceronte gigante do Oligoceno encontrado na China

22 de junho de 2021

Por: Nathália Cruz

Paraceratherium refere-se a um gênero de rinocerontes gigantes extintos, um dos maiores mamíferos que já habitaram a terra e que viveram durante o período do Oligoceno, entre 34 e 23 milhões de anos atrás.

Conhecido popularmente como rinoceronte girafa, esse animal, apesar de não possuir cornos, faz parte do mesmo grupo que os rinocerontes atuais (mas de famílias distintas). Grupo esse que considera não os cornos, mas sim os dentes desses animais, para sua caracterização e identificação.

Seus fósseis foram encontrados primeiramente no Paquistão e depois em outros lugares da Ásia e Europa. Recentemente foi descoberto um fóssil de uma nova espécie na China, descoberta essa que foi publicada na Nature Communications Biology no dia 17 de junho de 2021, em artigo intitulado “An Oligocene giant rhino provides insights into Paraceratherium evolution”.

No artigo é reportado um crânio bem preservado, com mandíbula articulada e atlas, bem como o áxis e duas vértebras torácicas de um outro indivíduo (figs 1 e 2), de uma nova espécie de Paraceratherium do Oligoceno superior encontrado na província de Gansu, na China, e nomeada Paraceratherium linxiaense devido a localidade em que foi encontrado (fig.3).

Fig.1. Crânio (a-e) e mandíbula (f-h) do Paraceratherium linxiaense vistos de diferentes ângulos. (Figura extraída do artigo fonte.)
Fig.2. Atlas (a), áxis (b) e vértebras torácicas (c) dos Paraceratherium linxiaense encontrados. (Figura extraída do artigo fonte.)
Fig.3. Local onde o fóssil foi encontrado na província de Gansu, China. (Figura extraída do artigo fonte.)

O Paraceratherium linxiaense possui várias características que caracterizam o gênero, como tamanho corporal gigantesco, pré-maxila longa com extremidades anteriores estendendo-se para baixo, cristas parietais separadas, côndilo alto em comparação com a altura da superfície nucal, dentre outras. E foi apontado como a espécie mais derivada desse gênero dentre as já descobertas. Tal posicionamento é mostrado na análise filogenética realizada pelos pesquisadores envolvidos no artigo, que considerou 155 caracteres (fig.4).

Fig.4. Relação filogenética dos rinocerontes gigantes. (Figura extraída do artigo fonte.)

Ao final do artigo discute-se também, com base em informações paleogeográficas, a distribuição das diferentes espécies de Paraceratherium durante o Oligoceno (fig.5).

Fig.5. Distribuição e dispersão das espécies do Paraceratherium durante o Oligoceno (cedo em amarelo e tardio em vermelho). (Figura extraída do artigo fonte.)

Para saber mais: assista <esse vídeo> do canal zoomundo, sobre o Paraceratherium

Artigo fonte: DENG, Tao et al. An Oligocene giant rhino provides insights into Paraceratherium evolution. Communications Biology, v. 4, n. 1, p. 1-10, 2021.Doi: 10.1038/s42003-021-02170-6 <Clique aqui para acessar o artigo fonte>

Legenda e fonte da imagem de capa: Reconstrução artística de Paraceratherium. (Imagem extraída da reportagem de Carolina Fioratti (2021). Fóssil desenterrado na China pertence ao maior rinoceronte-girafa já registrado. Super Interessante. Disponível <aqui>. Crédito da imagem: Yu Chen/ Reprodução.)

Publicado por Alexandre Liparini

Mineiro, gaúcho, sergipano, e por que não, alemão? No caminho sempre a paleontologia como paixão e agora como profissão. Adora dar aulas e pesquisar sobre origens e evolução. Se esse for o tema, podem perguntar, por que não?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: