Parques Paleontológicos: importância para a aprendizagem da Paleontologia na Educação Básica Brasileira

21 de março de 2020

Por: Marina Jardim Nunes

A Paleontologia, ciência essencial à compreensão da história da vida na Terra, é precariamente abordada na Educação Básica Brasileira.

Diante desse cenário, quatro pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro conduziram um estudo que evidenciou que a proximidade a um Parque Paleontológico influencia no conhecimento sobre Paleontologia de estudantes submetidos ao mesmo contexto educacional formal acerca do tema.

Em um primeiro momento, um levantamento de como a Paleontologia é (ou não) abordada nas Bases Comuns Curriculares, nos Parâmetros Curriculares Nacionais e nos livros didáticos empregados nas escolas contempladas pelo estudo revela que a não citação explícita da ciência e seus conceitos é, provavelmente, uma das principais causas pelo raso conhecimento dos estudantes sobre a área.

Em uma fase posterior do estudo, foi aplicado um questionário a estudantes do Ensino Médio de uma cidade próxima a um Parque Paleontológico (PP) e de uma cidade distante de qualquer PP. Contendo questões conceituais sobre Paleontologia e questões sobre conhecimentos mais gerais, como a existência de fósseis no Brasil. O questionário visou avaliar a influência da proximidade ao parque nos conhecimentos sobre Paleontologia.

À face do resultado e do fato de que a escola próxima ao PP não utilizava esse espaço como ferramenta de ensino, apenas como espaço de lazer, os autores sugerem ações para que o Parque Paleontológico seja efetivamente utilizado como um espaço não formal de aprendizagem. Dentre essas ações, destaca-se a visita ao parque como algo não pontual, mas como parte de um projeto pedagógico que envolve preparação prévia dos professores e um feedback investigativo para posterior reforço do aprendizado.

Apesar de o estudo ter contemplado uma escola próxima a um parque específico, seus resultados são importantes para o ensino da Paleontologia em todo o país. As questões levantadas e as sugestões apresentadas são acessíveis a instituições próximas a qualquer Parque Paleontológico e, ainda, passíveis de adaptação pelas escolas distantes desses espaços.

Artigo fonte: Oliveira, G. C. G.; Oliva, E.; Balbino, A. C.; Castro, L. O. R. (2019). A proximidade de um Parque Paleontológico estimulando o conhecimento entre estudantes da Educação Básica Brasileira. Terræ Didatica, v. 15, p. 1-8. doi: 10.20396/td.v15i0.8654372 <Clique aqui para acessar o artigo fonte>

Fonte da imagem: Ilustração do usuário upklyak, extraída de freepik.com “Archaeological excavation” <link>

Publicado por Alexandre Liparini

Mineiro, gaúcho, sergipano, e por que não, alemão? No caminho sempre a paleontologia como paixão e agora como profissão. Adora dar aulas e pesquisar sobre origens e evolução. Se esse for o tema, podem perguntar, por que não?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: