Rocky Racum: O herói da Marvel que se cansou da América e saiu em busca de aventuras intergalácticas

18 de setembro de 2020

Por: Raquel Mary Ferreira

Talvez você seja uma dessas pessoas que não sabe muito bem quem é o Rocky. Se você já assistiu Guardiões da Galáxia, pode se lembrar dele como um guaxinim de pavio curto ou o grande amigo daquela árvore chamada Groot. Se você não sabe do que eu estou falando, não se preocupe! Esse texto é justamente para falar um pouco sobre quem é esse carinha e de onde ele veio.

Cientificamente falando, podemos chamar guaxinins e quatis de procionídeos. Os procionídeos são pequenos mamíferos carnívoros que estão amplamente distribuídos pelo continente americano. Mas como será que eles chegaram até aqui, no nosso quintal? Bom, alguns pesquisadores afirmam que seus ancestrais surgiram na Europa em algum momento entre 56 e 35 milhões de anos atrás. Daí pra frente seguiram se diversificando, até que ingressaram no continente americano entre 9 e 4 milhões de anos atrás, de acordo com registro fóssil (beeem antes dos Homo sapiens pensarem, literalmente).

Para explicar como esses camaradinhas se distribuíram por um continente tão grande e chegaram até a América do Sul, surgiram duas teorias principais. Mais ou menos 3 milhões de anos atrás houve o que os especialistas chamam de Grande Intercâmbio Biótico Americano, apelidado carinhosamente de GABI (por causa da sigla em inglês). Uma das teorias suporta que os procionídeos teriam sido mais velozes, e chegado na América do Sul antes que o GABI acontecesse, junto com alguns de seus ancestrais gigantes extintos hoje em dia. Em contrapartida, alguns pesquisadores apontam uma teoria diferente. A segunda teoria é de que esses animais teriam chegado aqui no Sul quase no fim do GABI, acompanhando uma corrente migratória diferente.

Foi então que alguns pesquisadores latino-americanos apareceram para nos ajudar a entender um pouco mais sobre esse mistério. Encontraram no noroeste da Venezuela, em um lugar chamado El Breal de Orocual, alguns dentes fósseis de procionídeos. Supostamente essa região surgiu há mais ou menos 5 milhões de anos atrás e atraía, de alguma forma, muitos mamíferos. Daí o amplo registro fóssil encontrado ali. Esses pesquisadores fizeram, então, uma ampla comparação entre os dentes de procionídeos atuais e dos fósseis encontrados. Perceberam que haviam encontrado dentes fósseis da espécie Nasua nasua, também conhecido como quati-de-cauda-anelada, e de alguma espécie do gênero Procyon, mesmo gênero dos guaxinins, como nosso herói Rocky.

O que esses achados nos mostraram foi que os ancestrais de Rocky não chegaram aqui no Sul no fim do GABI, pelo contrário, acompanharam uma corrente que veio para cá há menos que 5 milhões de anos. Infelizmente, os fósseis encontrados nessa região não são antigos o bastante para comprovar a teoria de que esses mamíferos chegaram aqui antes do GABI. Porém já é o suficiente para entender que a distribuição desses mamíferos pelo continente foi bem mais complexa do que pensávamos!

Atualmente na região do El Breal de Orocual, não são mais encontrados tantos guaxinins e quatis, e isso nos sugere que eles podem ter sofrido algum tipo de pressão para sair deste local para outro, sendo encontrados hoje em dia na região andina. Talvez por isso nosso amigo Rocky tenha se retirado e foi viver suas aventuras tão longe da sua terra natal.

Artigo fonte: Ruiz-Ramoni, D., Rincón, A., Montellano-Ballesteros, M. (2018). Evidencia del origen de Nasua y Procyon (Procyonidae: Carnivora) en América del Sur. Revista Brasileira de Paleontologia, v. 21, n. 1, p. 87-94, DOI: 10.4072/rbp.2018.1.07. <Clique aqui para acessar o artigo fonte>

Legenda e fonte da imagem: Um procionídeo geneticamente modificado que saiu da América em busca de aventura. (Imagem extraída da Wikipedia <Link>.)

Publicado por Alexandre Liparini

Mineiro, gaúcho, sergipano, e por que não, alemão? No caminho sempre a paleontologia como paixão e agora como profissão. Adora dar aulas e pesquisar sobre origens e evolução. Se esse for o tema, podem perguntar, por que não?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: