Uma Preguiça Gigante é encontrada no Espírito Santo e isso é fantástico!

23 de novembro de 2021

Por: Pedro Giordani

No município de Cachoeiro de Itapemirim viveu um monstro. Com cerca de 4 metros de altura e com massa corporal estimada em quase cinco toneladas, foi encontrada em uma pedreira da cidade em um conglomerado composto por seixos de mármore em uma matriz de argila. Esse monstro se trata de partes de fósseis de uma preguiça gigante, cientificamente conhecida como Eremotherium laurillardi, foi encontrado fragmentos do crânio, dos dentes, vértebras e ossos da tíbia, a partir dos quais foi possível diagnosticar que se trata de uma preguiça gigante.

O fato fantástico é que esse evento é extremamente raro de acontecer no Espírito Santo, isso se dá porque o Espírito Santo se encontra envolta de rochas metamórficas (rochas formadas através de outras rochas) e que tem poucos espaços com rochas sedimentares, onde se encontra os fósseis. O mármore, extraído pela pedreira, é um tipo de rocha metamórfica, derivado de alta pressão e temperatura do calcário. O que deixa tudo surpreendente é que mesmo com esse tipo de terreno não apropriado para fósseis, foi possível encontrá-lo, por causa de uma fenda com uma incomum presença de sedimentos contendo fósseis.

Nossa preguiça foi encontrada em um fenda (com altura de 2,5 metros) formada entre rochas, onde foi relatado que a ossada estava desarticulada. Foi observado marcas na superfície da tíbia, isso mostra que a morte da nossa preguiça aconteceu em um ambiente aberto já que caso tivesse morrido na fenda teria maior integridade dos ossos. Então como esse bicho de cinco toneladas foi encontrado na fenda? Bem, a hipótese tem alguns passos:

1 – Momento da morte. A nossa preguiça vivia perto da fenda onde foi encontrada, logo é esperado que ela morresse perto da fenda
2 – Após a morte da preguiça gigante aparecem alguns canídeos que comem a carne da preguiça, algo bem parecido com os urubus hoje em dia. Com isso, esses canídeos provocam a desarticulação da carcaça e separam alguns ossos, isso provoca com que a preservação total da carcaça da preguiça não ocorra.
3 – Fluxos leves de água levam essas ossadas para a fenda que estava ali perto, sendo de curta distância.
4 – Nessa fenda o animal foi soterrado e isso é muito importante para proteger o que restou da carcaça!

A Preguiça Gigante e outros fósseis achados como esse são importantes pois sua raridade proporcionada pelo local achado mostra que possamos ter potencial de novas descobertas de fósseis em regiões similares, podendo mapear futuramente outras espécies extintas que viveram nestas regiões.

Artigo fonte: Germano, R. V., Buchmann, R. & Rodrigues, T. (2019). Fósseis em uma frente de extração de mármore? Análises tafonômica e paleoicnológica de mamíferos de grande porte do Quaternário do Espírito Santo, Brasil. Revista Brasileira de Paleontologia, v. 22, p. 240-252. DOI: 10.4072/rbp.2019.3.06 <Clique aqui para acessar o artigo fonte>

Fonte e legenda da imagem de capa: Exemplar fóssil de um Eremotherium laurillardi. Autoria de Wikipedia Loves Art participant “Kamraman”, extraída do site commons.wikimedia.org utilizando o termo de busca Eremotherium.

Publicado por Alexandre Liparini

Mineiro, gaúcho, sergipano, e por que não, alemão? No caminho sempre a paleontologia como paixão e agora como profissão. Adora dar aulas e pesquisar sobre origens e evolução. Se esse for o tema, podem perguntar, por que não?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: