Um curioso dinossauro relatado para o final do Cretáceo na Europa era subadulto

29 de junho de 2022

Por: Natália Alves de Abreu

Os terópodes eram uma subordem de dinossauros bípedes, muito famosos mundialmente. No entanto, na região onde hoje se encontram os países da Europa, há 70 milhões de anos formavam diversas ilhas e os terópodes de lá apresentavam características muito particulares. Nesses ambientes eles se diversificaram em onívoros e herbívoros, e estão representados principalmente apenas por dentes isolados e fragmentos de cascas de ovo, sendo seus restos esqueléticos escassos. Diversas comunidades de dinossauros e vertebrados, habitavam a Europa durante o final do Cretáceo (cerca de 77-66 milhões de anos atrás), mas pouco se sabe sobre os terópodes nessa época na região da Europa. Uma nova perspectiva se abriu em setembro de 2003, quando foi descoberto por uma equipe de paleontólogos do Museu de la Conca Dellà, no sítio de Sant Romà d’Abella, um osso do pé, correspondente a um metatarso II de um terópode Troodontidae na Europa. Este foi o primeiro dinossauro de seu grupo a ser relatado nesta região e não é só isso: era um subadulto.

Mas o que significa isso? Os resultados histológicos apontam que a espécie mostra um padrão de crescimento em que cresceu rapidamente no início do seu desenvolvimento, mas atingiu o tamanho subadulto, ou seja, atingiu a maturidade em pouquíssimo tempo durante o seu desenvolvimento. Os pesquisadores fizeram análises histológicas e filogenéticas com outros terópodes, que revelaram a ocorrência de um forame nutrício na superfície póstero medial do segundo metatarso, uma característica derivada do forame que o distingue de todos os outros troodontidae, apoiando sua identificação como um novo gênero e espécie, o Tamaro insperatus.

As análises de detalhes de sua morfologia mostraram nos troodontidae um padrão associado à maturidade esquelética e, além disso, a diferenciação histológica de seus tecidos ósseos indicam um estágio maduro e a cessação da expansão medular, e assim, o seu tamanho corporal. Este padrão de crescimento é semelhante a outros troodontidae basais, como o asiático Mei long.

O registro de fragmentos de dentes semelhantes a Troodontidae da Europa, juntamente com a provável afinidade asiática de Tamarro, confirmam que os troodontidae podem ter chegado ao antigo arquipélago europeu. Sendo assim , a evidência histológica apoia ainda mais os resultados filogenéticos e anatômicos na interpretação de Tamarro como um membro basal de Troodontidae. A descoberta dessa nova e importante espécie de terópode na Europa ajuda a entender como eram os dinossauros na época final do Cretáceo, permitindo avaliar diferentes hipóteses para sua extinção e entender melhor como eles evoluíram.

Artigo fonte: Sellés, A.G.; Vila, B.; Brusatte, S.L.; Currie, P. J.; Galobart, À. (2021) A fast-growing basal troodontid (Dinosauria: Theropoda) from the latest Cretaceous of Europe. Scientific Reports, v. 11, n. 4855. Doi: 10.1038/s41598-021-83745-5. <Clique aqui para acessar o artigo fonte>

Fonte e legenda da imagem de capa: Comparações de crescimentos de terópodes. Extraída do artigo fonte.

Publicado por Alexandre Liparini

Mineiro, gaúcho, sergipano, e por que não, alemão? No caminho sempre a paleontologia como paixão e agora como profissão. Adora dar aulas e pesquisar sobre origens e evolução. Se esse for o tema, podem perguntar, por que não?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: