Os Novos Dinossauros de São Paulo*

18 de junho de 2022

Por: Bruna Luiza Campos Jorge

*Texto publicado também no espaço biótico <confira aqui>

Os abelissaurídeos foram um grupo de dinossauros que viveu durante o período Cretáceo e estão entre os maiores predadores da América do Sul. Eram dinossauros carnívoros, bípedes, que provavelmente atingiam cerca de 7,4 metros de comprimento.

No estado de São Paulo, na Formação geológica Marília, no município de Monte Alto, e na Formação São José do Rio Preto, no município de Ibirá, foram encontrados fósseis de três dinossauros abelissaurídeos. Essa descoberta ampliou a lista de registros de dinossauros desenterrados das rochas do Grupo Bauru, bacia sedimentar que cobre uma grande área no Brasil, com afloramentos que se estendem até o Nordeste do Paraguai. Essa bacia de rochas é uma sucessão sedimentar do período Cretáceo que reflete ambientes não marinhos em mudança, como leques eólicos, lacustres, fluviais e aluviais.

Essa foi a primeira vez em que restos de ossos de abelissaurídeos foram encontrados na região. Foi possível identificar os ossos como sendo destes dinossauros a partir da análise de várias características específicas de estruturas do corpo como a fíbula e várias outras estruturas da pelve, como o , acetábulo, bota distal do púbis, trocânter, antitrocânter e quilha do ísquio, entre outros.

As descobertas feitas em Monte Alto e Ibirá mostram que durante o período Cretáceo Superior (entre 100,5 e 66 milhões de anos atrás, aproximadamente) os abelissaurídeos habitavam junto com outros dinossauros, como os maniraptores, megaraptores e possivelmente carcarodontossaurídeos. Além disso, podemos dizer também que os abelissaurídeos foram provavelmente os terópodes (grupo de dinossauros bípedes, geralmente carnívoros ou omnívoros) mais numerosos na Bacia de Bauru.

Artigo fonte: Méndez, A. H.; Novas, F. E. & Iori, F. V. (2014). New records of abelisauroid theropods from the Bauru Basin (Upper Cretaceous), São Paulo State, Brazil. Revista Brasileira de Paleontologia, vol. 17, n. 1, p. 23 – 32. DOI: 10.4072/rbp.2014.1.03. <Clique aqui para acessar o artigo fonte>

Fonte e legenda da imagem de capa: Modelo de abelissaurídeo, localizado no Museo Paleontológico de Castilla em La Mancha, na Espanha. Autoria de PePeEfe, extraída do site commons.wikemedia.org <link>

Publicado por Alexandre Liparini

Mineiro, gaúcho, sergipano, e por que não, alemão? No caminho sempre a paleontologia como paixão e agora como profissão. Adora dar aulas e pesquisar sobre origens e evolução. Se esse for o tema, podem perguntar, por que não?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: