Pesquisadores descobrem restos de peixe gigante que viveu no período Cretáceo, no Norte do Maranhão

11 de maio de 2022

Por: Sillas Modesto

Pesquisas recentes descobriram fragmentos de um peixe gigante, que viveu no final da era Mesozoica, no final do período Cretáceo, entre 100,5 milhões e 93,3 milhões de anos, aproximadamente. A descoberta foi feita no Norte do Maranhão, na baía de São Marcos, em um sítio fossilífero pertencente à Formação Alcântara. Os fósseis encontrados estavam depositados em um local que hoje é de estuário, ambiente aquático de transição entre um rio e o mar. Grande quantidade de outros tipos de fósseis também foram encontrados na região, dentre eles espécies da flora como coníferas, pteridófitas arborecentes e equisetos. Já entre as espécies da fauna, foram encontrados dinossauros, crocodilos, répteis e peixes.

Os fragmentos fósseis da espécie encontrada, permitiu sua classificação como Mawsonia, um peixe sarcoripterígio. Os sarcopterígios tiveram ampla distribuição geográfica e grande diversidade desde o período Devoniano, da era Paleozoica. Dentro de Sarcopterygii, o gênero Mawsonia pertence ao grupo Actinistia e seus representantes atualmente são os chamados celacantos. A espécie foi batizada como Mawsonia gigas, considerada uma espécie de grandes proporções para o ambiente aquático de água doce.

O material encontrado do espécime representa fragmentos de ossos do crânio, face, máxima, palato, cintura escapular e arco branquial, além de outras partes. Nesse achado, tem se a título de exemplo um fragmento do osso mandibular dentário do lado direito, com 105 mm de comprimento e um fragmento do osso mandibular angular, com 213 mm de comprimento, mostrando o quão grande era a espécie.

Assim, os pesquisadores concluíram que de fato se trata do gênero Mawsonia, de acordo com os registros fossilíferos encontrados. A espécie foi a única do Brasil a ser reconhecida. Para tal, comparam o modelo de crânio de Mawsonia apresentado nos estudos de Maisey (1986) com os fragmentos encontrados e utilizando-se de técnicas de computação gráfica com o uso do software gráfico específico chegaram aos ajustes de dimensões. Analisando as proporções entre as espécies de Mawsonia e Axelrodichthys — outro gênero do mesmo grupo de Mawsonia — chegou-se ao tamanho estimado fóssil encontrada no Maranhão, de aproximadamente 4,57 metros, com medidas superiores as dimensões encontradas da mesma espécie por outros autores, ao redor do mundo.

A título de curiosidade, o desenho abaixo representa o tamanho de Mawsonia gigas, comparado com uma pessoa, mostrando assim quão grande era esse peixe.

Artigo fonte: Medeiros, Manuel Alfred et al. (2011). O Senhor dos Rios: Mawsonia gigas (Mawsonidae) do Cenomaniano do Maranhão, Brasil. Paleontologia: Cenários da Vida. XXII Congresso Brasileiro de Paleontologia, Natal – RN. v. 4, p. 575-583. <Clique aqui para acessar o artigo fonte>

Fonte e legenda da imagem de capa: Comparação entre o tamanho do Mawsonia gigas, espécie encontrada, com uma pessoa. Figura extraída do artigo fonte.

Publicado por Alexandre Liparini

Mineiro, gaúcho, sergipano, e por que não, alemão? No caminho sempre a paleontologia como paixão e agora como profissão. Adora dar aulas e pesquisar sobre origens e evolução. Se esse for o tema, podem perguntar, por que não?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: