Como os fósseis nos ajudaram a entender melhor o comportamento social dos dinossauros

23 de novembro de 2021

Por: Matheus Rodrigues Gonçalves

Extintos há 65 milhões de anos, os dinossauros sempre fascinaram os seres humanos. Apesar de parecer estranho que os dinossauros tenham tido alguma vida em sociedade, um artigo publicado na revista científica Scientific Reports revela isso e muito mais sobre a vida destes animais.

Uma equipe de cientistas liderada por pesquisadores do Museu Paleontológico Egídio Fergulio, localizado na Argentina, identificou mais de 180 fósseis de diversas idades de uma única espécie de dinossauro na Formação Laguna Colorada na patagônia argentina. A espécie Mussaurus patagonicus, popularmente chamada de mussauro, é um dinossauro herbívoro de grande porte que viveu há aproximadamente 193 milhões de anos. Os fósseis encontrados são de 80 indivíduos de diversa idades, além de mais de 100 ovos fossilizados com embriões em diversos estágio de desenvolvimento.

A presença de espécimes em diferentes idades, em uma mesma região indica que os animais mantinham uma interação social complexa. Os fósseis estavam distribuídos em uma área de 1 km2, agrupados de acordo com suas idades. Enquanto os mais jovens estavam mais próximos dos ovos, os mais velhos estavam mais distantes, mas ainda assim, perto dos filhotes. Essa coexistência de indivíduos adultos e jovens aponta que os animais andavam em bando, provavelmente como uma estratégia para proteger os mais novos. Enquanto os indivíduos adultos podiam chegar a pesar mais de 1.500 kg, os filhotes pesavam pouco mais de 100 g. As evidências apontam ainda que os adultos procuravam alimentos para si e para os mais jovens, que não possuíam essa capacidade devido ao seu tamanho e estrutura corporal.

Estudos anteriores indicam que outras espécies de sauropodomorfos, grupo da qual o mussauro faz parte, também possuíam um comportamento parecido com o dinossauro descoberto na Argentina. Entretanto, os fósseis descobertos recentemente são as evidencias mais antigas do comportamento em grupo entre os dinossauros anteriores a 40 milhões de anos.

Esse comportamento em manada pode ter sido o ponto chave para o grande sucesso evolutivo dos sauropodomorfos, e principalmente dos saurópodes, descendentes dos sauropodomorfos e maiores animais que já habitaram o planeta.

Artigo fonte: Pol, D., Mancuso, A.C., Smith, R.M.H. et al. (2021). Earliest evidence of herd-living and age segregation amongst dinosaurs. Scientific reports, v. 11, n. 20023. DOI: 10.1038/s41598-021-99176-1 <Clique aqui para acessar o artigo fonte>

Fonte e legenda da imagem de capa: Reconstrução artística de um grupo de mussauros, hábito este que poderia aumentar a sua sobrevivência. Autoria de Jorge Gonzalez, extraída da matéria “Patagonian fossils show Jurassic dinosaur had the herd mentality” no site reuters.com <link>

Publicado por Alexandre Liparini

Mineiro, gaúcho, sergipano, e por que não, alemão? No caminho sempre a paleontologia como paixão e agora como profissão. Adora dar aulas e pesquisar sobre origens e evolução. Se esse for o tema, podem perguntar, por que não?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: