Cortando o mal pela raiz: integração da Paleontologia no ensino desde cedo propõe mudar o desinteresse enraizado na sociedade por tal conteúdo

22 de novembro de 2021

Por: Júlia Olbrisch Ferraz

O ensino de Paleontologia nas escolas brasileiras, não só as particulares como também as públicas, é precário, pois os professores, muitas vezes, não são interessados pela área e não têm muito domínio sobre ela. Além do mais, os materiais, incluindo apostilas e livros, não tratam muito ou muito bem o assunto que pouco se fala em sala de aula, onde, do pouco que se trata, é sobre os dinossauros.

A integração do ensino da Paleontologia desde cedo na educação das crianças, segundo estudos, é algo fundamental para a construção do seu conhecimento e para a popularização deste na sociedade, tendo tais crianças como principais disseminadoras. Além disso, é muito importante a segurança e entusiasmo do professor ao ministrar esse conteúdo, pois é isso o que irá cativar e garantir o ensino desse assunto ao aluno, algo que pode chegar a marcá-lo por toda a sua vida.

Outro ponto importante para um bom ensino de Paleontologia nas escolas é a didática usada pelo professor. O professor precisa ser criativo e inovar, respeitando o perfil de seus alunos, incluindo a sua faixa etária. Dando atenção a esses dois parâmetros, o aluno acaba sendo instigado a aprender e buscar por mais conhecimento, sendo então cativado pelo assunto e tendo de forma efetiva atingido o objetivo do professor, que é ensinar.

Estudos como as experiências citadas no artigo “A PALEONTOLOGIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: ALFABETIZANDO E CONSTRUINDO O CONHECIMENTO” corroboram o quanto a criatividade e a imaginação das crianças são importantes para aprender e incentivar o gosto pela Paleontologia. Em tal artigo é apresentado atividades lúdicas, excursões e até mesmo o contato das crianças com especialistas, o que fez toda diferença para a sua educação e trouxe uma popularidade dessa disciplina ainda maior do que esperavam.

Diante do que podemos observar, a Paleontologia não é um conteúdo tão apreciado nas escolas nem fora delas. Entretanto, com força de vontade, didática e imaginação, escola, professores e alunos, juntos, podem mudar essa perspectiva que está enraizada em nossa sociedade e que acaba sendo passada de professor a aluno.

Artigo fonte: MELLO, F.T.; MELLO, L.H.C.; TORELLO, M.B.F. (2005). A paleontologia na educação infantil: alfabetizando e construindo o conhecimento. Ciência e Educação, v. 11, n. 3, p. 395 – 410. DOI: 10.1590/S1516-73132005000300005 <Clique aqui para acessar o artigo>

Fonte e legenda da imagem de capa: Criatividade e imaginação instigam crianças a aprender Paleontologia. Imagem extraída do artigo fonte.

Publicado por Alexandre Liparini

Mineiro, gaúcho, sergipano, e por que não, alemão? No caminho sempre a paleontologia como paixão e agora como profissão. Adora dar aulas e pesquisar sobre origens e evolução. Se esse for o tema, podem perguntar, por que não?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: