Fósseis indicam a antiga união entre a América do Sul e o continente africano

23 de novembro de 2021

Por: Raí Leonardo

No nordeste brasileiro se encontra a formação mais diversa em fósseis do período Cretáceo no norte da América do Sul, a Formação Alcântara, de idade Albiano-Cenomaniao (entre 113 e 94 milhões de anos). Um dos fatos que chama a atenção desse local, além da sua diversidade de fósseis, é a amostra de espécimes que se assemelham muito aos encontrados no norte da África, mostrando uma comunicação entre a fauna destes dois continentes.

Em um primeiro momento, é difícil chegar à conclusão de que a América do Sul e a África já foram conectados, já que hoje encontram-se tão distantes e com o Oceano Atlântico entre eles. Porém, uma forma interessante de ver essa conexão é com o registro fóssil destes locais, que vem nos mostrando as semelhanças de animais que só se justificam pela união terrestre, permitindo a circulação dos indivíduos.

Alguns desses fósseis são de peixes, uma tartaruga, crocodilianos, pterossauros e dinossauros, como os saurópodes – dinossauros quadrúpedes de pescoço longo – como por exemplo, Astrodon, rebbachisaurídeos e titanossauros. Há também fósseis de dinossauros terópodes – dinossauros bípedes carnívoros ou onívoros – como Elaphrosaurus, espinossauros e carcardontossauros. Nesse caso temos oito grupos de peixes e sete grupos dos demais animais citados, número esse que pode aumentar, dependendo da identificação de mais fósseis e de suas devidas classificações.

Todos esses grupos que foram encontrados no Brasil são encontrados em países africanos como Egito, Tunísia, Sudão e Marrocos, mas que não são encontrados em países próximos ao Brasil, como a Argentina. Situação que nos leva a reforçar o fato da união desses continentes devido ao compartilhamento desses animais em locais hoje separados por uma distância de mais ou menos 5.140 km.

Artigo fonte: Candeiro, C.R.A.; Fanti, F.; Therrien, F; Lamanna, M.C. (2011). Continental fossil vertebrates from the mid-Cretaceous (Albian–Cenomanian) Alcântara Formation, Brazil, and their relationship with contemporaneous faunas from North Africa. Journal of African Earth Sciences, v. 60, n. 3, p. 79-92. DOI: 10.1016/j.jafrearsci.2011.02.004 <Clique aqui para acessar o artigo fonte>

Fonte e legenda da imagem de capa: Encaixe da América do Sul com a África, com indicação dos grupos fósseis equivalentes encontrados em ambos os continentes. Imagem extraída do artigo fonte.

Publicado por Alexandre Liparini

Mineiro, gaúcho, sergipano, e por que não, alemão? No caminho sempre a paleontologia como paixão e agora como profissão. Adora dar aulas e pesquisar sobre origens e evolução. Se esse for o tema, podem perguntar, por que não?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: