Cobras morando em mamute contam como era o clima na Era do Gelo

06 de julho de 2021

Por: Victor Leone de Alcântara

Fósseis de cobras encontradas dentro de fósseis de mamutes são usados por cientistas do México para estimar as condições climáticas em região do centro do México durante o Pleistoceno, época que abrangeu o período conhecido como Era do Gelo.

Ao todo foram identificados 106 restos fósseis no sítio arqueológico de San José Buenavista, entre eles uma mandíbula de mamute (Mammut americanum), alguns poucos de outros répteis e a maioria de cobras que pertencem ao grupo da cascavel escura (Crotalus triseriatus), sendo que muitos destes foram encontrados dentro da mandíbula de mamute. Isso levanta a hipótese das cobras terem utilizado os restos do mamute como abrigo, sendo este o primeiro registro desta espécie de cobra e também deste tipo de comportamento que datam do Pleistoceno, demonstrando um novo tipo de influência da megafauna no ecossistema.

As cobras poderiam ter sido carregadas por algo até a mandíbula, mas a proposta das cobras terem usado a mandíbula como abrigo é embasada por investigações tafonômicas, sendo a Tafonomia a área da paleontologia que investiga os processos que ocorreram com um fóssil desde sua morte até sua descoberta.

Os fósseis das cobras também foram utilizados para inferir o paleoclima da região durante o Pleistoceno, sendo paleoclima o conjunto das condições climáticas em alguma era geológica. Fósseis de répteis são úteis para tal inferência pela maneira que este grupo responde a mudanças de temperatura e precipitação. Nesse processo utilizou-se a metodologia de MER (Mutual Ecogeographic Range), que consiste em estimar as condições ambientais nas quais um fóssil habitava com base em seus parentes viventes. Chegou-se a conclusão que o clima em que os fósseis viviam era mais frio (viviam no período glacial) e mais úmido.

Esse estudo demonstra a eficácia do MER e também a utilidade de fósseis de répteis para inferir as condições climáticas de uma região em um determinado período.

Artigo fonte: Cruz, José.Alberto., Alarcón-D, Ivá., Figueroa-Castro, Dulce.Marí. (2020). Fossil pigmy rattlesnake inside the mandible of an American mastodon and use of fossil reptiles for the paleoclimatic reconstruction of a Pleistocene locality in Puebla, Mexico, Quaternary International, v. 574, p. 116-126. Doi: 10.1016/j.quaint.2020.10.058 <Clique aqui para acessar o artigo fonte>

Fonte e legenda da imagem de capa: Representação de cobras usando restos de mamute como abrigo. Arte de Gerardo García Demeneghi. Extraída do artigo fonte.

Publicado por Alexandre Liparini

Mineiro, gaúcho, sergipano, e por que não, alemão? No caminho sempre a paleontologia como paixão e agora como profissão. Adora dar aulas e pesquisar sobre origens e evolução. Se esse for o tema, podem perguntar, por que não?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: